segunda-feira, 21 de junho de 2010

Francine

Te amar por fora é fácil. o meu tesão transpõe sua pele e, se eu pudesse, arrancaria seus ossos e músculos. Seduziria suas artérias, penetraria o seu sangue, me molharia no teu líquido mortal.


E eu não sei pq ainda te vejo como uma deusa. Banhada em pecado, insanidade, derrotas, frieza. Tão linda em sua perfeição letal, tão cruel em sua mortalidade.


E quantas noites em claro, procurando desvendar segredos, pra te ver despida de mentiras e ainda sim, intocável. Digna demais para a minha futilidade, para as minhas palavras jogadas ao vento.


Posso te escrever as mais lindas palavras, mas jamais serei digna do teu veneno. Morte simples e cruel. Morte para poucos. Veneno adocicado que sai da sua língua, mamilos e entranhas, disfarçando toda a preciosidade escondida na caverna inabitada do teu peito. Inabitada, fria, cruel, sozinha. E é lá que eu quero buscar abrigo. É no meio da tua fragilidade que quero fazer meu ninho e me sentir em casa. É no meio de vc que quero aprender a derreter e ser derretida.


É o mar que me devora o que me faz infeliz. É viver que me faz te perseguir e é te perseguir o que me faz ser eu.


É você quem me resgata das trevas em que me escondi. É você quem pode me tirar do abismo.

de uma forma ou de outra, é você. Sempre será vc.


Foi te entendendo que me busquei de volta e foi tentando achar palavras que me redescobri. Me faltam dedos, voracidade e coragem pra te desbravar, mesmo pq, ainda falta uma parte de mim. E eu tento me encontrar enquanto te procuro, mas só acho respostas pra perguntas em vão.


O que ainda não entendo é, como pude ser eu, sem você?

8 comentários:

  1. Me lembrou o cortiço nao sei pq:|

    ResponderExcluir
  2. pelo jeito de escrever. Me lembrou o cortiço. Vc descreve de maneira com que a pessoa fique ao mesmo tempo espantada e assustada. Nao sei explicar exatamente. Mas é um bom texto:)

    ResponderExcluir
  3. Que lindo. Me identifiquei com cada palavra. E adorei a idéia do blog. :*

    ResponderExcluir
  4. Ahh... suas palavras penetram. Você escreve maravilhosamente bem. E essa angustia misturada com luxúria. Pronto, virei tua fã.

    ResponderExcluir
  5. em pensar que esse blog nasceu no bar do sorriso .. hsuahushauhsuahsa ...

    ResponderExcluir
  6. Valeu, Rita Baiana, kkkkkkkk... Mesmo sem conhecer a Francine direito, o texto tem a ver com ela, mto mesmo. Isso me lembra um cenário com veludo negro e sangue escorrendo. Não me pergunte o porquê.

    ResponderExcluir